quarta-feira, 4 de julho de 2007

O Que Dr. House Diria?

Acho curioso como todos usam a abstração da vida para jogar todas as culpas para ela, sem deixar que você seja o culpado por seus próprios erros. Fazendo conspirações maiores, traçando rotas de que aqui não foi uma decisão sua, e sim do destino. Que as coisas não eram para ser, simplesmente não eram para ser. Aceitando uma condição puramente fictícia da realidade.


Quanto tempo você demora de manhã na frente do espelho escrevendo seu papel? Quanto tempo você planeja suas falas e as coloca na ponta da língua? Há tempos você não é você. É uma personagem, porque assim é a maneira que você gosta que os outros te vejam. Porque seu sonho é ser famoso e ser um vilão de uma novela global.


Você se devora em tristeza, mas quando pede as respostas, todas as pessoas que lhe trazem caminhos são colocados para fora do seu caminho. Ninguém gosta de ser acusado de falso, mentiroso, mesquinho.


Pois adivinhem, eu sei o ator que corre nessas veias porque dia e noite eu luto para ele não sair. Para ele não planejar quando entrará em cena, pois quero ainda ser eu mesmo. Todas as minhas palavras, até as mais doces, possuem pequenos espinhos, que se mastigados servem para causar dor. Mesmo a mim.


Eu fui vil, meu senhores. Eu já menti demais nessa vida para achar que tenho tempo de fazer conjecturas, eu uso as afirmações porque agora é o que me convém.


Adianta, afinal? Fazer-se de vítima de si mesmo, um drama eterno que eu sei que você atua, porque você sente prazer em ser miserável. E mesmo que você me peça respostas, seu ódio por mim será maior se eu te disser o que realmente penso. Mas se querem saber de mim, eu não escondo o quão ridiculo sou em toda minha existência, o quão babaca e o quão egoísta. Eu aprendi que as mentiras podem ser saborosas, mas nada é mais pungente que uma verdade. Que a maldita verdade em cartaz.


Você não nasceu para ter nada que realmente valesse, das rosas você só merece o espinho. Você não nasceu para ser amado, você nasceu para ser prostituido, um cigarro que se fuma pelo prazer rápido.


Você vai se fingir de valente, fingir-se de forte, porque dentro de sua histeria, ser fraco é um defeito. Não aquilo que te faz humano.


Seu mundo são as paredes da sua cegueira porque você quis deixa-lo vazio, porque se nem você mesmo pode se salvar, nem um cristo poderá intervir.


Enquanto isso do alto do castelo mais alto, na torre mais alta, as mulheres sonham com os principes que chegam a qualquer momento. E você ou é o cavaleiro que abre as portas da masmorra ou a donzela inexistente desse conto de horror.


Você é uma mentira, porque é assim que você quer. E assim tudo que passar por você, será transformado na mentira que você quer acreditar. Minhas mãos estão limpas dessa vez... Porque sei que nessa traição, eu não recebi nenhuma moeda de prata. Foi sua loucura que me chamou de Judas.


Preste atenção, e eu estou falando com você. Enquanto você continuar sendo um maldito boneco de si mesmo, sua vida continuará incompleta. Quando eu te vejo só posso observar um jogo, onde você mesmo tenta te dar o xeque mate.


Sábado, 30 de Junho de 2007.


2 comentários:

  1. wowww
    adorei, Thi! (pulha mais pop!..)
    vou visitar sempre
    ah, e to com saudade ^^
    :***
    ps: to vendo o House quase sempre, é bom, hein?

    ResponderExcluir
  2. Como sempre , vc é brilhante!
    Bjão

    ResponderExcluir